DIVISÃO DE CIÊNCIA
FEDERAÇÃO DA FROTA
ESTELAR DE SÃO PAULO

 



 

UMA INTRODUÇÃO AO R.P.G.DE STAR TREK

"O espaço sideral, a fronteira final. Estas são as aventuras da tripulação da nave estelar Enterprise, em sua missão de explorar novos mundos, pesquisar novas vidas, novas civilizações, audaciosamente indo aonde ninguém jamais esteve..."


Quantos de nós já não ouviram estas palavras incontáveis vezes? Mais ainda, quantos de nós não desejamos que a parte da "tripulação da nave Enterprise" se referisse a nós? Muitas, eu creio, pois está em nosso sangue. Porém, quantos já conseguiram realizar esse desejo? Poucos, talvez alguns, mas nem todos... E qual seria o nome dessas pessoas? Felizardos? Sortudos? Não, nenhum deles. Eles se chamam R.P.G.istas. Porém o que nós (pois eu sou R.P.G.ista) fazemos não é nada de excepcional. O que irei dizer a seguir permitirá a qualquer um ser "o capitão da Enterprise".

Bases:

Antes de mais nada creio que é necessário explicar o que é R.P.G. Isso é fácil. R.P.G. é um dos jogos mais fáceis de serem aprendidos, pois tudo o que você precisa você já nasceu tendo. O que você precisa é de sua imaginação pois todo o resto é opcional, dispensável e não necessário, porém devo dizer que ajuda bastante, apesar de complicar um pouco ( ou muito) as coisas, ter um sistema de regras para se apoiar e para resolver impasses, como um combate, sem grandes perigos aos participantes (alguém quer se arriscar a pular de um edifício para o outro, para ver o que consegue no jogo?).


Os sistemas de R.P.G. possuem as mais diversas características, porém um fator comum na maioria é o de contar com a aleatoriedade, usando dados e outros artifícios sobre os quais é difícil ter controle do resultado. Porém, apesar da diversidade de sistemas existentes, alguns são mais apropriados para serem usados no universo trekker, e irei apresentar uma descrição dos sistemas que eu conheço e considero adequados.

Sistemas:

G.U.R.P.S.: esse sistema pode ser considerado perfeito para qualquer tipo de cenário, pois possuí regras bem flexíveis, porém, tem um problema: é um sistema realmente maçante na criação de personagens (seu alter ego durante uma aventura) e de naves (vocês realmente não fazem idéia, de como é pedante e demorado) além de possuir regras extremamente detalhadas, o que pode atrapalhar o jogo de personagens mais iniciantes. Em compensação, é um sistema muito conhecido.


Millenia: este é um sistema razoável, pois possui regras não muito complicadas e, como já é ambientado em um universo de ficção científica, não é muito difícil de ser adaptado para o universo trekker, porém ele possui uma desvantagem, o sistema não emplacou aqui no Brasil, sendo, portanto, relativamente desconhecido.


Saga Rules System: esse sistema é outro razoável (eu pessoalmente o adoro), pois apesar de ser um sistema de regras simplíssimas, que priorizam a interpretação e que foi projetado para fantasia medieval, é bastante flexível, tanto que eu adaptei-o para o universo trekker.


Esse sistema possuí uma outra característica que pode ser conveniente ou não ao mesmo tempo : Como vantagem, ele utiliza cartas ao invés de dados, o que acaba por permitir um maior controle dos resultados aos jogadores, em revés não permite uma grande disseminação do sistema, pois uma pessoa que mesmo conhecendo-o não vai poder jogar na casa de um amigo a não se que tenha as cartas consigo. Outro ponto extremamente ruim é que ele é o mais desconhecido dos três citados, nem sequer tendo uma versão traduzida, sendo portanto pouco procurado e por esse mesmo motivo, muito difícil de encontrar.


Na minha opinião estes são os três melhores sistemas para se jogar no universo trekker, que eu conheço o suficiente para comentar, pois existem ainda sistemas que foram criados exclusivamente para o universo trekker, porém ainda não tive acesso a eles.

Categorias:

Como já falamos o suficiente dos sistemas, agora creio que devemos falar das pessoas que jogam, as quais podem ser divididas em duas categorias:


Mestre de jogo (ou DM, ou Narrador): essa é a pessoa que cria uma aventura para que os personagens dos jogadores vivam. É uma posição que exige responsabilidade e arbitrariedade, pois a vida dos personagens estará na mão do DM, sendo este o que decide o que irá acontecer como, quando e porque (parecido com o Q). O DM enfim, controla tudo, menos os personagens dos jogadores e os resultados aleatórios. O mestre de jogo age como todos os coadjuvantes que os personagens dos jogadores virão a encontrar, mas dificilmente permanece em uma personalidade por muito tempo, sendo que se é necessário algum treino para interpretar as múltiplas personalidades.


Personagem (ou alter-ego) : seriam os papéis principais da aventura, uma das únicas constantes, pois estes se mantêm por várias aventuras. Como se fosse uma série de TV, eles nunca mudam de personalidade, a não ser que o narrador assim o queira, pois eles são o enfoque da aventura normalmente, determinando o que irá acontecer durante a aventura e que rumos ela vai seguir (como o capitão Picard e sua tripulação).

 

Regras:

Agora que já temos uma idéia sobre o que é R.P.G., podemos nos aprofundar mais nos sistemas individuais como, por exemplo, regras de criação de personagem e sistema de testes de acerto, o que pode ser descrito rapidamente.


No sistema Millenia o que ocorre é uma definição de prioridades, ou seja, dependendo da profissão que o personagem escolher (navegador, piloto, mercador...), ele pode se especializar (priorizar) em algumas habilidades. Por exemplo: um navegador dificilmente se especializaria em comércio, porém ele provavelmente seria um ás em astronavegação, mas o oposto poderia acontecer. Nesse sistema de criação, a grande desvantagem é que você não pode escolher quão especializado você é. Um ás terias habilidades iguais às de outros ases, não podendo ser melhor que outros ases, do mesmo nível.


A grande vantagem desse sistema é o fato de não ser necessário uma grande quantidade de cálculos para ver quão bom você é devido o sistema de jogadas de acerto ser bem simples já que de acordo com a sua especialização em determinada área, você tem um valor x (por exemplo, alguém que escolheu ser habilitado em uma perícia tem x=11). Para ver se você foi bem sucedido na perícia basta jogar três dados de seis faces (3d6) e, se a soma dos resultados for menor que o valor da habilidade, você foi bem sucedido, a margem de sucesso costuma indicar o quão bem sucedido você foi.


Já em G.U.R.P.S., o sistema é de distribuição de pontos. Os jogadores começam com cem ou mais pontos e eles devem distribuir entre seus atributos, perícias, vantagens e desvantagens. Porém, não pense que a coisa é fácil, pois os valores são muito diferentes, sendo preciso muitos cálculos para completar a ficha, e é esta a principal desvantagem do sistema: o grande tempo tomado na criação de personagem. Mas na hora dos testes, a coisa é até simples; dependendo de quantos pontos você dedicar à uma perícia, você terá um valor x e, então. o sistema passa a ser parecido com o Millenia: 3d6, se o resultado for menor você foi bem sucedido, se for maior você falhou. Rápido e simples.


No sistema Saga Rules System não se usa dados, mas cartas, sendo que a criação de personagens é a mais rápida dos três sistemas. Você tem 12 cartas que determinam praticamente tudo o que se é necessário para se criar um personagem: atributos, status social, dinheiro e outros fatores. Esse sistema tem a desvantagem de não ser muito específico no que se diz respeito às perícias, mas em compensação é rápido. O sistema de acerto é bem simples: o narrador determina uma dificuldade e, após isso, o jogador deve jogar uma carta. Se o valor do atributo que está sendo testado mais o valor da carta virada for superior ao da dificuldade estipulada pelo narrador, o jogador é bem sucedido; e se a carta virada for do mesmo naipe do atributo, o jogador ainda pode virar outra carta do topo do baralho e somar o valor à outra carta. A margem de sucesso age como fator determinante dos resultados.


Creio que isto é o suficiente para se ter uma idéia sobre o R.P.G.. Assim sendo, o que mais for possível aprender pode ser encontrado nos livros de regras dos sistemas, a qual é uma das maneiras de se aprender a jogar, mas não é a melhor. Para aqueles que realmente procuram jogar, eu aconselho a procurar alguém que já saiba e pedir para esta pessoa lhe ensinar.


Acreditem: é muito mais fácil!

Diretrizes:

Para concluir devemos citar as três diretrizes de ouro do R.P.G.:


Primeira diretriz: Divirta-se, esse é o objetivo principal do jogo.


Segunda diretriz: Não há regras para criar regras! Se alguma te incomoda, elimine-a ou mude-a.


Terceira diretriz: Esqueça quem você é e o que você sabe, seja seu personagem e saiba o que seu personagem sabe.


É isso aí!


Autor : Alf . Ian Moroni

Colaborações : Ten. Angelo Pedroso

Ten. Thiago Ourives

Com. Avelino Pereira

Fonte :

Sistemas RPG : GURPS Millenia

Saga Rules System

Advertência:

STAR TREK e todo o material relacionado, a não ser que indicado em contrário, são propriedades da Paramount Pictures, uma subsidiária da Viacom. Este fã-clube tem apenas finalidade de divulgar o universo Star Trek no Brasil. O site, páginas, textos e seus autores não tem nenhuma intenção de infringir os direitos autorais reconhecidos e não tem fins lucrativos.

STAR TREK and many related terms are registered trademarks of Paramount Pictures, Inc. a VIACOM company. This site, texts and their authors are provided on a strictly non-profit basis. No copyright infringement is intended. In case of any objections, mail us, please.

 




VIDA LONGA E PRÓSPERA......!


DIVISÃO DE CIÊNCIA
FEDERAÇÃO DA FROTA ESTELAR DE SÃO PAULO